Make your own free website on Tripod.com

www.robledocosta.com.br

GRÉCIA: OS GRANDES PENSADORES
HOME
CURRÍCULO
PROJETO VIOLÊNCIA E TRAGÉDIA NO RJ (Destaque na Mídia)
PROJETO PUC MINAS (Educação, Meio Ambiente e Cidadania)
PROJETO GALERA DE ATITUDE (Programa da TVE-RS)
PROJETO HISTORIADOR POR UM DIA (Arquivo Público do RS)
PROJETO EU, PORTO ALEGRE (Usina do Gasômetro)
PROJETO MUSEU DA PESSOA (Toda Escola Tem História Para Contar)
PROJETO ÚLTIMOS DIAS DE SUPER-HERÓI (Fundação Vida Urgente)
CURTA-METRAGEM NA ESCOLA (Porta Curtas)
HISTÓRIA (Textos)
LITERATURA NA AULA (Poemas)
MÚSICAS (Sugestões de Estudo)
FILMES (Análise Histórica)
LINKS
GALERIA DE FOTOS
CONTATO

Na Grécia antiga, existia um grupo de pessoas que, diferentemente da maioria da população, não aceitava as explicações religiosas para os fenômenos naturais e sociais. A partir de questionamentos, reflexões e observações, esses pensadores formularam diferentes teorias para explicar esses fenômenos[1].

O pensador Sócrates usava o diálogo para estimular as pessoas a refletir. Conversava com os jovens, fazia perguntas encorajava-os a perguntar. Por meio do questionamento, levou seus discípulos a reconhecer sua própria ignorância e a descobrir por si mesmos a verdade procurada. Dessa maneira, o interlocutor era motivado a pensar de forma ativa, questionando as tradições, os costumes, os valores e as instituições políticas[2].

            Platão deu seqüência ao pensamento de Sócrates[3]. Refletiu sobre a vida do homem em sociedade e imaginou como deveria ser o Estado ideal. Comparava o Estado ao corpo humano, dividido em três partes: cabeça, peito e baixo-ventre. A cabeça contém a razão e seu ideal é atingir a sabedoria; por isso corresponderia aos governantes. O peito contém a vontade e deve demonstrar a coragem; corresponderia aos soldados da cidade. No baixo-ventre está o desejo que deve ser controlado: portanto, corresponderia aos trabalhadores. Somente quando as três partes do homem agirem como um todo, o indivíduo será saudável e harmonioso. Da mesma forma, um Estado justo seria aquele em que cada um conhece o seu lugar no todo e os filósofos comandariam a cabeça por meio da razão.

Aristóteles foi aluno de Platão, mas não compartilhou de suas idéias sobre o Estado ideal, observando que o governo não deve ser regido pelos "melhores homens", mas pelas "melhores leis". Interessou-se por diferentes ramos do conhecimento: matemática, astronomia, biologia, física, direito, política, ética, teatro etc. Resumiu o pensamento dos filósofos anteriores, organizando e sistematizando suas idéias. Por sua preocupação em ordenar os conceitos e em demonstrar o conhecimento por meio do raciocínio dedutivo, Aristóteles é considerado o fundador da lógica. Preocupou-se, também, em refletir e discutir sobre a ética e as relações sociais. Poucos pensadores exerceram influência tão duradoura quanto Aristóteles. Suas idéias ainda hoje influenciam o pensamento ocidental.

 

 



[1] A palavra grega filosofia designa o esforço mental na busca do conhecimento, e os que se dedicam a essa atividade são conhecidos como filósofos.

[2] Os questionamentos de Sócrates desagradaram muito atenienses. Acusado de não acreditar nos deuses e de corromper a juventude, Sócrates foi condenado à morte e envenenado com cicuta, em 399 a.C.

[3] Sócrates não deixou nada escrito. Tudo o que sabemos sobre suas idéias foi escrito por Platão.

Vocabulário:

  • Filosofia: do grego philein, “amar” e sophia, “sabedoria”; amor à sabedoria.
  • Raciocínio dedutivo: raciocínio que parte de uma verdade universal para chegar a uma conclusão particular. Exemplo de raciocínio dedutivo: “Todos os animais são mortais. Todos os homens são animais. Logo, todos os homens são mortais”.
  • Lógica: na tradição aristotélica, ramo da filosofia que trata dos processos intelectuais e das leis idéias que possibilitam chegar ao conhecimento verdadeiro.
  • Ética: ramo da filosofia que estuda o comportamento e os valores humanos sob o ponto de vista do bem.

www.robledocosta.com.br - Todos os direitos reservados.