Make your own free website on Tripod.com

www.robledocosta.com.br

ROMA: O CRISTIANISMO
HOME
CURRÍCULO
PROJETO VIOLÊNCIA E TRAGÉDIA NO RJ (Destaque na Mídia)
PROJETO PUC MINAS (Educação, Meio Ambiente e Cidadania)
PROJETO GALERA DE ATITUDE (Programa da TVE-RS)
PROJETO HISTORIADOR POR UM DIA (Arquivo Público do RS)
PROJETO EU, PORTO ALEGRE (Usina do Gasômetro)
PROJETO MUSEU DA PESSOA (Toda Escola Tem História Para Contar)
PROJETO ÚLTIMOS DIAS DE SUPER-HERÓI (Fundação Vida Urgente)
CURTA-METRAGEM NA ESCOLA (Porta Curtas)
HISTÓRIA (Textos)
LITERATURA NA AULA (Poemas)
MÚSICAS (Sugestões de Estudo)
FILMES (Análise Histórica)
LINKS
GALERIA DE FOTOS
CONTATO

Jesus nasceu durante o governo de Augusto[1], numa família humilde em Belém, pequena cidade da Judéia, reino que pertencia ao Império Romano. Conforme tinham dito os profetas na Bíblia, um messias[2] viria libertar o povo de todo o sofrimento. Como os judeus não aceitavam o domínio romano, muitos achavam que estava para chegar esse messias, que os libertaria do jugo de Roma.

Jesus apresentou-se como Filho de Deus e foi considerado o messias tão aguardado. Mas, em vez de guerra, ele ensinou que todos os homens são irmãos e que aos bons está reservada a ressurreição e a vida eterna[3]. Milhares de pessoas aceitaram as idéias de Jesus e começaram a segui-lo por toda parte.

Os sacerdotes judeus de Jerusalém consideraram este movimento uma ameaça à sua autoridade. Para detê-lo, ordenaram a prisão de Jesus e o enviaram a Pôncio Pilatos, governador da Judéia. Jesus foi acusado de agitador e blasfemo[4] e, por isso, condenado à pena máxima: a crucificação. Esses fatos ocorreram durante o reinado do imperador Tibério.

A condenação de Jesus, entretanto, não enfraqueceu o movimento cristão. De Jerusalém, o cristianismo[5] se irradiou pelo mundo romano graças à pregação dos apóstolos[6]. Surgiram numerosas comunidades cristãs ou igrejas[7]. Pedro e Paulo foram os maiores divulgadores da nova religião. Pedro foi indicado por Jesus para edificar sua Igreja e foi considerado o primeiro bispo de Roma. Paulo difundiu o cristianismo para os não-judeus, tornando-o uma religião universal, separada do judaísmo. Ambos foram mortos na primeira perseguição aos cristãos, ordenada pelo imperador Nero.

O governo romano tolerava as diversas crenças religiosas que existiam no Império. No entanto, fazia uma exigência: todos deviam respeito ao culto oficial romano e ao imperador. Os cristãos não participavam das cerimônias oficiais, não cultuavam o imperador, não aceitavam o politeísmo romano e não prestavam serviço militar. Para o governo romano, eram motivos suficientes para condená-los a diferentes penas: exílio, trabalho forçado, tortura, crucificação, decapitação ou exposição às feras. Mas as perseguições não foram contínuas: houve anos seguidos de tolerância, e nesses períodos o cristianismo se expandiu ainda mais.

 



[1] Não se sabe a data do nascimento de Jesus. O dia 25 de dezembro é uma convenção religiosa estabelecida pelo papa Júlio I no século IV.

[2] Pessoa enviada por Deus com uma missão libertadora

[3] A mensagem de Jesus sugeria um raciocínio perigoso: se todos eram irmãos, então os judeus eram irmãos dos romanos. E, aos olhos de Deus, o imperador tinha o mesmo valor que o escravo.

[4] Aquele que ofende a divindade ou a religião.

[5] Jesus foi chamado de Cristo, palavra de origem grega que significa “o consagrado”. O título deu origem ao nome da religião e de seus seguidores.

[6] Nome dado aos discípulos escolhidos por Jesus para divulgar sua mensagem.

[7] Do grego eclésia, “assembléia”; comunidade dos primeiros cristãos.

www.robledocosta.com.br - Todos os direitos reservados.