Make your own free website on Tripod.com

www.robledocosta.com.br

EGITO: POR QUE E PARA QUEM FORAM ERGUIDAS AS PIRÂMIDES?

HOME
CURRÍCULO
PROJETO VIOLÊNCIA E TRAGÉDIA NO RJ (Destaque na Mídia)
PROJETO PUC MINAS (Educação, Meio Ambiente e Cidadania)
PROJETO GALERA DE ATITUDE (Programa da TVE-RS)
PROJETO HISTORIADOR POR UM DIA (Arquivo Público do RS)
PROJETO EU, PORTO ALEGRE (Usina do Gasômetro)
PROJETO MUSEU DA PESSOA (Toda Escola Tem História Para Contar)
PROJETO ÚLTIMOS DIAS DE SUPER-HERÓI (Fundação Vida Urgente)
CURTA-METRAGEM NA ESCOLA (Porta Curtas)
HISTÓRIA (Textos)
LITERATURA NA AULA (Poemas)
MÚSICAS (Sugestões de Estudo)
FILMES (Análise Histórica)
LINKS
GALERIA DE FOTOS
CONTATO

Em meio às areias do deserto do Saara, erguem-se as pirâmides. São construções imponentes, que há cerca de 5 mil anos maravilham o mundo. Foram construídas pelos antigos egípcios que também nos deixaram este mito.

O deus Osíris governava as aldeias que se espalhavam pelo extenso vale do rio Nilo. Era um rei sábio e muito querido, pois ensinara o povo a plantar, a construir cidades e canais de irrigação, a adorar os deuses e a respeitar as leis. Sua esposa, a bela Ísis, ajudou-o nessa missão, ensinando as mulheres a moer o trigo, a fiar o linho e a preparar poções curativas.

Osíris tinha, contudo, um inimigo: seu irmão, o invejoso Set, que não suportava seu sucesso junto aos homens. Set resolveu eliminar o rei e tomar o trono para si. Depois de muitas artimanhas, conseguiu trancar Osíris dentro de um caixão, selando-o com chumbo derretido. O caixão foi jogado nas águas d Nilo e o rio o levou em direção ao mar.

Ao saber do ocorrido, Ísis se desesperou. Cortou os longos cabelos negros, vestiu-se de luto e saiu em busca do caixão. Quando o recuperou, abriu a tampa e deitou-se sobre seu amado, chorando de tristeza. Ficou muito tempo pousada sobre Osíris sob a forma de um falcão com as asas abertas. Usando de toda sua magia, Ísis conseguiu engravidar do marido morto. Agora teria um herdeiro para vingá-lo.

Mas Set ainda não estava satisfeito. Tomou o cadáver de Osíris e despedaçou-o em quatorze pedaços, que espalhou por todo o reino. Ísis recomeçou outra paciente busca do marido. Nos locais onde encontrou cada pedaço, fez um funeral simbólico e ergueu uma lápide. Reunindo os pedaços, recompôs o corpo de Osíris e o embalsamou com a ajuda de Anúbis, o deus com cabeça de chacal que era protetor das múmias.

Dessa forma, Osíris pôde voltar à vida. Mas ele preferiu ficar no reino dos mortos e deixou seu governo na terra nas mãos de seu filho póstumo, Hórus. Osíris era um rei justo e bom para os mortos que tivessem levado uma vida correta na Terra. Mas os maus eram punidos: sua alma não teria direito à eternidade.

Hórus substituiu o pai e governou os homens na Terra. Continuou a luta contra Set, que o perseguiu por muito tempo. Ísis protegeu o filho e o próprio deus Sol, Rá, o ajudou, proclamando que Hórus era também seu filho e que era dever das pessoas amá-lo e respeitá-lo. Assim, Hórus governou os egípcios por toda a eternidade, encarnado no corpo do rei, o faraó. Desde então o faraó passou a ser chamado de "Hórus vivo" e "filho de Rá". Ele protegia o povo dos perigos e maldades de Set. Se acontecesse algum mal ao faraó, seria o fim do mundo e da humanidade.

Adaptado de IONS, Veronica. Egipto. Biblioteca de Grandes Mitos e Lendas Universais. Lisboa: Verbo, 1982.

www.robledocosta.com.br - Todos os direitos reservados.